THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Ensaio sobre a Felicidade.


Tenho uma história de ganhos e perdas quando se trata de amor.
Na verdade, isso é mais um desabafo do que qualquer outra coisa.
Fim do ano passado, estava bem comigo mesmo, feliz e inteiramente completo.
Turbulência, paixão, amor?
Não sei, só sei que fiquei inteiramente dominado pelo que chamam de amor, por outra pessoa.

Não deu certo.

Ruim?
Acho que não, sem ser demagogo, mas depois de tudo o que fiz pra tê-lo pra mim, acho quer foi melhor não ter dado certo, ele não me merecia... fiz muito, não recebi nada.

Encuquei! decidi que queria namorar, e na verdade estava com essa necessidade, carência?
Não sei! Só sei que precisava desesperadamente de algúem pra eu cuidar, ou pra cuidar de mim, não sei ao certo.

O que sei, é que estava incompleto, e via essa plenitude num alguém que eu não sabia quem era.
Só sei que queria, por que queria namorar.
Talvez a piscologia explique isso, como uma necessidade pós trauma, que foi o fato de eu ter saído de casa, junto com ns problemas.
Depois do leãos veio o touro.
ínicio conturbado, cheio de confusões, de sentimentos não definidos, um outro alguém no meio disso tudo, ou será que eu era o outro?
Não sei, sei que estava estranho.
Mais uma vez depositei expectativas, quais?
Neu eu sei ao certo quais.

Namorar?

Acho que não, minhas expectativas eram outras, talvez me sentir suprido num todo.
Não foi o que aconteceu.
Muitas diferenças, ideológicas, humanas, de comportamento e principalmente de prioridades.
Não o julgo, quem sou eu! Afilal, somos simplesmente diferentes.
Esperei... não foi o que eu imaginava, não saiu como eu quis.

Gostar?

Gosto bastante, muito mesmo, mas não vejo isso retriubído, e na verdade, cansei de esperar.
Deixar as coisas acontecerem?
Até quando?

Um belo dia, digo, segunda-feira agora, acordei, Feliz.
No sentido mais puro da palavra felicidade.
Percebi, que na quinta-feira, tinha pessoas que gostavam de mim, pessoas que foram atrás da minha amizade; se isso aconteceu é porque devo ser um amigo digno.
Sexta, alguns amigos vieram aqui, me senti suprido.
Sábado mais amigos, senti falta do taurino, queria que ele participasse dessa felicidade, acho que foi aí que percebi que estava mais uma vez depositando expectativas de mais sobre alguém.
Ri muito, brinquie muito, escutei muitos elogios sobre minhas pinturas, sobre o que eu escrevo, sobre mim, pessoas que não me conheciam estavam aqui, vi que não sou qualquer um, que realmente sou uma pessoa de valor. E quando digo, valor, digo Valor Humano, não Estético ou financeiro. Principalmente porque sempre estive acostumado em escutar elogios reperente a minha beleza física, ao meu estilo despojado e exótico, á minha sinceridade desenfreiada, dessa vez, escutei elogios, sobre Eu. Um Eu, interno.

No domingo, em casa, alguns vizinhos reunidos, minha família, todo mundo, com saudades,. de um Eu que Eu mesmo, desconhecia, de um cara de boa, bacana que sabe o que quer, que enxerga os outros.
Fiquei muito feliz em saber que sou muito importante na vida de muitas pessoas, que sou querido, e isso me conteve.

Fiquei feliz, em saber que tenho estrutura, tenho onde me apoiar, tenho uma família Louca de pedra, mas o que importa é que nos completamos, tenhos amigos completamente sem noção, mas são eles que estão do meu lado.
Segunda-feira faculdade, muito estudo, muita coisa, os professores me abraçando, conversa de K, conversa de Lá. Percebi que no meio acadêmico e entre meus colegas sou uma presença que faria falta.
Sempre pensei muito nisso.
No dia que eu morrer, ou se morresse hoje, é obviu que teriam pessoas que chorariam por mim e sentiram minha falta, mas depois desse fim de semana, percebi que o chorar e o sentir sua falta não me interessa, o que me interessa é que Eu, como pessoa, faria falta no dia-a-dia dessas pessoas, faria falta num abraço, num sorriso, numa brincadeira boba, percebi que eu seria lembrado durante muito tempo, e não durante um ou dois meses, como é o de praxe.

Percebi então, e decobri a resposta para a pergunta que sempre me assolou.
O que estava acontecendo comigo em dezembro do ano passado, antes de eu me apaixonar?
Porque eu não estava nessa ânsia de namorar?

Descobri que eu estava feliz.

E quando você está feliz, você e as pequenas coisas a sua volta te suprem.
Percebi que eu era auto-suficiente, que eu me bastava.
E segunda-feira, acordei feliz, acordei de bem comigo, feliz com o que sou, e principalmente com a falta que faria a muitas pessoas se eu morresse.

Amor?
Não dispenso, mas não é o que está prioritário na minha vida atualmente, quero curtir meus amigos, meus estudos, quero curtir o sabor de um café, curtir uma ressaca de final de semana, quero curtir os pequenos sabores, as pequenas delícias, curtir minhas delícias, me curtir, minhas pinturas, o ato de misturar cores, o ato de arrumar minhas roupas, quero apenas viver tudo, conhecer os detalhes.

se quero alguém?

Quero é claro, mas quero alguém, que faça parte disso tudo comigo, ao meu lado, não quero alguém superior a mim, e nem inferior, quero alguém que me equilibre como ser humano, que me traga felicidade, que se ame, e que me ame também, que ria das coisas bobas, que curta ficar em casa vendo um filme, e que curta também um final de semana só de baladas, que fiquei bêbado comigo e não me regulando, o gostinho de ir saindo da sanidade aos poucos, juntos, quero alguém que saiba dar valor a um sorriso, à amizades verdadeiras, á beleza de estar vivo. Quero um companheiro. e não um namorado de final de semana, de balada ou de cama.

Estou na última semana de aula, semana de provas e trabalhos, em tempo de ficar louco, estudando o dia todo, mas até nisso eu vejo prazer, vejo porque é algo que me preenche, o trabalhar, o pensar, o conhecer.

Estou feliz.

Só isso.

O que quero?

Tenho tudo já.

4 comentários:

jaqueliny euzébio. disse...

Cara, esse seu texto merece ser públicado para que o mundo inteiro veja!
Você não faz idéia do bem que eu senti quando eu li cada frase do seu texto, é uma das raras vezes que eu me emociono lendo algo escrito em um blog (e olha que eu sou chorona para TUDO).

Como é bom se sentir vivo e como é bom ver alguém que sabe como é se sentir vivo. Essa manhã, eu acordei desanimada, meio pra baixo, fechada nos meus problemas e transtornada com a maneira que o mundo me vê. Mas ao terminar de ler esse seu texto, nem isso me importa mais.

Obrigada, você salvou minha manhã! \o/
A-D-O-R-E-I!

Mirtes disse...

Muito linda sua publicação, sua aura é transparente e muito bela que emana e envolve os seres que estão ao seu redor.

Seja feliz.

Bjs

"Anjo de Má reputação"[...] disse...

brigado meninas............
agradecido de verdade.

adorooo..

"Anjo de Má reputação"[...] disse...
Este comentário foi removido pelo autor.